terça-feira, janeiro 10, 2006

O que se passa com o italiano?


Faz-me confusão o estranho apagamento de Miccoli. Depois dos primeiros jogos (dois ou três) em que o italiano deslumbrou o que levou a crítica especializada a fazer-lhe os mais rasgados elogios (eu próprio fiquei entusiasmadíssimo), eis que uma lesão veio deitar tudo a perder. Desde então tudo se modificou. Miccoli não mais voltou ser o mesmo. As suas exibições têm ficado muito aquém do exigível o que nos faz questionar se o verdadeiro Miccoli era aquele dos primeiros jogos ou, se pelo contrário, é aquele que temos visto ultimamente. Custa a crer que um jogador que tem cartel em Itália, inclusivé já com algumas internacionalizações no seu currículo, não valha mais do que nos vem mostrando. Quer-me parecer que há ali muita ansiedade, muita pressa em mostrar serviço, e que este facto o inibe de desenvolver o futebol de que é efectivamente capaz. E Koeman até tem sido amigo, pois continua a dar-lhe oportunidades, mas não pode esperar ad eternum, que o italiano se digne começar a jogar. Até porque Geovanni, adora jogar naquela posição e quando o tem feito, tem revelado saber dar conta do recado. É portanto chegada a hora de Miccoli fazer valer as suas credenciais e tratar de justificar a sua vinda para o Benfica. Se assim não for, é bem provável que no final da época o clube não exerça o direito de opção de compra do seu passe, que por sinal é bem caro.

3 comentários:

dezazucr disse...

Também me parece que seja ansiedade. Não acredito que o jogo que fez contra o Lille tenha sido só fogo de vista.

Convém é despachar-se, pois eu pelo menos, neste momento daría a titularidade a Geovani.

Anónimo disse...

Só é surpreendente para quem anda distraído! O percurso de Miccoli era previsível. Actualmente um jogador de uma equipa como a Juventus, mesmo que esteja encostado, só troca a sua equipa pelo Benfica pela oportunidade de aparecer na montra da Liga dos Campeões. Miccoli fez de facto um (e só um) grande jogo contra o Lille. Quando se lesionou contra o Porto perdeu a oportunidade de aparecer noutros jogos da LC e aparentemente perdeu o interesse em jogar. Quando voltou da lesão tinha pelo menos mais 5 Kg.

Talvez ele recupere um pouco da sua forma com o aproximar do jogo com o Liverpool, mas o seu impacto na Campeonato será sempre marginal.

Esta experiência mostra quão absurdo é a política de contratações de ir às melhores Ligas buscar jogadores "de nome mas que não jogam". Feita a contabilidade, no fim da época, é muito provável que os outros exemplos - Karagounis e Robert - também sejam considerados fracassos. Particularmente, o Francês que é a contratação mais errada que se poderia fazer nesta fase.
O Benfica precisa é de jogadores mais jovens, ambiciosos e dispostos a trabalhar; não de jogadores que falharam noutras paragens e que continuam a achar que são os maiores.

Anónimo disse...

Where did you find it? Interesting read » »