quinta-feira, novembro 02, 2006

A vitória desejada

Confrontos entre Benfica e Celtic já se sabe que o resultado acaba sempre num 3-0. Desta feita a vitória coube-nos a nós e ainda bem que assim foi, pois, caso contrário, tínhamos hipotecado as hipóteses de seguir para a próxima fase da Liga dos Campeões. Com este resultado mantivemos em aberto a possibilidade de sermos um dos dois apurados. Claro está que para que isso seja uma realidade precisamos de vencer o F.C. Copenhaga em nossa casa e esperar para ver no que vai dar o jogo entre Celtic e Manchester United. Pode acontecer até que, mesmo ganhando aos dinamarqueses, tenhamos que ir ganhar a Manchester o que seria uma tarefa bem complicada. Seja como for todas estas contas estão dependentes duma vitória sobre os dinamarqueses. Caso ela não aconteça tudo se esfuma. Muito provavelmente até a qualificação para a Taça UEFA fica em risco.
No jogo de ontem à noite não se pode dizer que não tenhamos sido bafejados pela sorte. A sorte que nos tem sido madrasta noutros jogos, desta vez foi bastante nossa amiga. Os dois golos de vantagem conseguidos ao intervalo foram uma benesse de Caldwell que não só fez um auto-golo como, pouco depois, à custa de uma infeliz recepção, isolou Nuno Gomes que não teve dificuldade em fazer o golo. Verdade se diga que nos primeiros 45' pouco fez o Benfica para merecer uma vantagem tão dilatada. Não fosse o central escocês e provavelmente o resultado na 1ª parte seria um empate a zero.
O intervalo fez bem aos encarnados uma vez que nos segundos 45' o Benfica conseguiu rectificar alguns aspectos menos positivos da 1ª parte, nomeadamente, dificuldades ao nível da marcação e da transição defensiva, bem como dificuldades na circulação de bola. Passámos a jogar mais compactos, dando a iniciativa ao adversário, fechando-lhe os caminhos para a baliza o que permitiu inúmeras recuperações de bola que originaram perigosos contra-ataques; conseguimos também uma maior segurança no passe, evitando o recurso aos lançamentos compridos que nos faziam perder a bola inúmeras vezes. Sem espaços e fisicamente debilitados os escoceses foram presas fáceis para os encarnados nesta 2ª parte. O 3º golo apareceu assim como o corolário lógico da supremacia do Benfica neste período e culminou a melhor jogada da partida. Pena foi não termos marcado mais golos pois oportunidades para isso não faltaram. Teria sido importante pois nada nos diz que o goal-average não venha a ser determinante na qualificação.
Realçe para a exibição de Nelson que na minha opinião terá sido o jogador encarnado mais em destaque. Não só pelo excelente cruzamento que ditou o auto-golo escocês como ainda pelas várias incursões pelo corredor direito que levavam perigo à baliza do adversário. Este é o jogador que tão bem deu conta do recado no início da época passada. Esperemos que esteja de volta aos seus melhores dias.

3 comentários:

Anónimo disse...

O Benfica venceu bem, mas não jogou por ai além.
Cm benfiquista, so tenho pena q não tivessem apertado um bocadito mais, pois a goleada seria maior.
Agr é torcer pl nosso benfas c o Copenhaga...só isso importa!!
E ganda Karyaka... q é bom jogador td a gente sabe... há q aproveitá-lo.
Saudações benfiquistas

ps: desculpa a publicidade no teu blog... http://fintas-e-fintas.blogspot.com

saudações

e cm diz o gato fedorento... ser benfiquista é bo cm o car..... LOL

Anónimo disse...

Visite: http://www.buondicaffe.com/INSTANTES/code/modules/foto/logic/actualizar_voto.asp?foto_id=6500

Obrigado

Anónimo disse...

Passem na Ibéria.